Uma das Mais Cruéis



Imagine perder sua identidade, imagine não saber o que aconteceu semana passada, imagine uma extrema confusão interna. Imagine não saber onde estava ontem à noite, imagine não saber mais quem é você, imagine não saber qual seu nome, quantos anos você tem.
Já se imaginou assim? Não, não é questão de se sentir perdido e não saber mais quem realmente é, a questão é literalmente não saber nada disso. Como você reagiria? Você não reagiria. Não por que você não iria querer, mas simplesmente por que não acharia que precisaria reagir a algo, uma das doenças mais horríveis que já presenciei, uma das mais cruéis e dolorosas.
Se perder de si mesmo, não saber quem é, se foi casado, se teve filhos, se teve netos. Não saber o nome das pessoas mais importantes que já apareceram na sua vida, não conseguir lembrar qual seu próprio nome, não saber o nome dos seus filhos e seus netos, nem mesmo do seu marido. Não saber o caminho de volta para casa ou não saber se tem uma casa. Isso machuca muito mais quem está ali olhando toda essa situação, do que quem está a passar por ela, apenas pelo motivo de estar consciente e estar ali, presenciando tudo por que no final do dia, quando colocar sua cabeça no travesseiro querendo descansar e se preparar para o próximo dia que virá, você relembrará tudo que aconteceu no dia, irá sentir todas as dores que sentiu o dia inteiro em relação a uma pessoa extremamente importante em sua vida, mas que não sabe mais quem é ou se é alguma coisa.


  • Autoria de: Caroline Sant.

2 comentários:

  1. Olha imagino que seja horrivel!
    Eu trabalho com crianças e adolescentes com necessidades especiais e muitas vezes alguns perdem oque adquiriu e muito triste mas nunca perdemos a esperança e no caso não chega a ser a identidade é mais no saber!

    Bom sou lá do grupo Blogueiras Ever!!
    To seguindo 32!! uhul
    Te espero no meu cantinho!
    Beijoos
    http://coffecomaszamigas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Sim, é algo que realmente me deixa muito triste. No caso de perder a identidade, falo das pessoas que sofrem com a doença de Alzheimer.
    Beijão, visitei seu blog e é muito fofo!

    ResponderExcluir