RESENHA: Em Um Bosque Muito Escuro | por Carol Sant

Boa tarde, migos!
Tudo belezinha com vocês? AH, CÊS SÃO TÃO LIDINHOS (só quis comentar mesmo, estou querendo nada não HUEH U-U).
A resenha de hoje é sobre um thriller psicológico, muito mais muito tenso e confesso que eu fiquei agoniada em certas partes da história, sou frágil para certas coisinhas (sim, me julguem). Estou falando do livro "Em Um Bosque Muito Escuro", escrito pela autora Ruth Ware e lançado pela Editora Rocco. Enfim, comecemos né!
Aqui nós iremos conhecer a Leonora, que gosta mais de ser chamada por "Nora" e odeia quando a chamam por "Lee", a mulher é um tanto quanto reclusa e até um pouquinho 'anti-social'. Ela quase não sai de seu pequeno apartamento a não ser que seja de extrema urgência ou necessidade, Nora é escritora de romances policiais e acaba por esse ser um dos motivos pelos quais a moça se mantém a maior parte do tempo em seu apartamento.
Mas em uma manhã, ela recebe um e-mail de uma amiga que há anos perderam contato, mas agora Clare - aquela amiga - a convida para sua despedida de solteira no próximo fim de semana. De início Nora estranha o convite, já que faz anos que as duas não se falam, mas acaba por ir à despedida.
Chegando no lugar onde acontecerá o evento, Nora estranha a escolha do lugar - uma casa de vidro no meio de uma floresta - mas, mal sabe ela que a coisa mais normal que ela encontraria naquela lugar seria aquela casa e outra amiga que também é convidada.
Depois de 48 horas, Nora (ou Lee?) acorda em um quarto de hospital, com suas memórias mais confusas do os livros que escreve, ela só tem apenas uma certeza: alguém morreu.
Agora, ela busca por respostas e por verdades do que realmente aconteceu naquela casa naquele fim de semana, mas para isso, ela terá que enfrentar a "Lee" do passado (ou seria Nora?), algo que a mulher odeia relembrar.
"Quotes preferidos":
  • "Crianças de cinco anos podem ser incrivelmente cruéis. Dizem coisas que nenhum adulto diria, comentários sobre a sua aparência, sua família, seu jeito de falar, seu cheiro, as roupas que usa. Se alguém falasse com você desse jeito no emprego, seria demitido por assédio no local de trabalho, mas na escola é apenas o jeito que as coisas são. Toda turma tem um saco de pancadas, acriança com quem ninguém quer sentar, a que é acusada de tudo e última a ser escolhida nos jogos de equipe. E talvez fosse inevitável que toda turma tivesse uma abelha rainha."
  • "— As pessoas não mudam — disse Nina com amargura. — Elas só ficam mais habilidosas para esconder o que realmente são."
  • "Existe uma espécie de efeito focal que ocorre quando se está muito doente. Vi acontecer com meu avô, quando ele estava indo embora. A gente para de se importar com grandes coisas. Nosso mundo encolhe e passa a ser de preocupações pequenas: como a faixa do robe que incomoda nas costelas, a dor na coluna; a sensação de uma das mãos na sua."

A capa é maravilhosa, com acabamento emborrachado e todo trabalhado por dentro, é lindo aos olhos. Porém, tenho algumas observações para comentar com vocês!
Em certo ponto da história senti que a autora estava enchendo o leito de linguiça (o que acaba me irritando muito quando autores fazem isso, por que né, convenhamos que não é nada legal). E apesar da escrita ser muito empolgante e que nos faz ficar curiosos para saber o que vai acontecer no próximo capítulo, isso acabou não funcionando para mim e com certeza foi um livro que demorei bastante para concluir a leitura.
No geral, é um ótimo livro, muitas pessoas adoraram a trama e falaram muito bem do livro, mas para mim infelizmente, é um livro mediano. Porém, acho que se eu tivesse lido ele em outro momento, teria curtido mais a história. Mesmo assim, é uma obra que eu recomendo, principalmente para os fãs de thrillers psicológicos.
Beijos da Cah 

Classificação: 


12 comentários:

  1. Já ouvi bastante do livro. Ele despertou minha curiosidade, isso com certeza é algo bom. Pois não é meu gênero preferido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, algo muito bom!!
      Dê uma chance ao gênero, quem sabe não se apaixona <3
      Bjs

      Excluir
  2. Olá!
    Nunca li o gênero thriller psicológico, mas sempre tive vontade de ler. Essas histórias são intrigantes, te prendem intimamente e livros que conseguem passar essa reação ao leitor são ótimos. É o que penso sobre a sensação de um thriller haha'
    Te entendo sobre sua opinião de talvez se lesse em outro momento poderia gostar da história, tem livros que possuem seu momento certo para leitura.
    Bem, esse livro me deixou curiosa para saber ainda mais dos fatos. Procurarei mais pra frente.


    Beijo, beijos
    relicariodehistoriasma.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thrillers são ótimos <3
      Acho que se eu tivesse lido ele em outro momento, teria gostado bem mais!
      Beijão

      Excluir
  3. Olá! Ótima resenha, já adicionei ele na minha wishlist!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Adoro um clima de suspense nos livros, de ficar na expectativa do que vai acontecer!! Achei o cenário excelente para a história, uma casa toda de vidro no meio de uma floresta!! Quem será que foi assassinado e por quem? Nora por algum motivo estava neste lugar. Será algum tipo de vingança contra ela? Fiquei intrigada querendo saber o que vem a seguir após ler a resenha, sem contar que eu amei capa!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, então corre comprar o livro por que sinto que você vai amar <3

      Excluir
  5. Oi, tudo bem?
    Amo Thrillers psicológicos, mas tenho preguiça desse tipo de livro que faz a gente demoraaar pra ler. Amo Caixa de Pássaros, se você ainda não leu, eu recomendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo ótimo e contigo?
      Eu já li Caixa de Pássaros, mas eu odeiei o livro, infelizmente :/

      Excluir
  6. Fiquei curiosa pra ler! Tbm fico sem paciência quando o povo enrola nas cenas, mas fazer o que, né? uashauhs

    ResponderExcluir
  7. Parece ser muito bom, fiquei curiosa para realmente entender o quanto ela "se odeia", como essa busca por respostas irá afetá-la e porque realmente perdeu a memória. Otima resenha. Bjs

    ResponderExcluir