Lançamentos de Outubro: Editora Rocco | por Carol Sant


Boa tarde, seus lindos!
Tudo belezinha com vocês? Espero que sim!

Hoje venho mostrar para vocês todos os lançamentos da Editora Rocco. Para quem não sabe, a Rocco agora é parceira aqui do Garota Bibliotecária e estou mega feliz com isso, então nada mais justo do que mostrar o que eles estão lançando de legal no mês de Outubro. Vamos lá?!

Começando pelo selo "Rocco", a Editora vai lançar dois livros pelo selo, sendo eles:


Sinopse: Michel Faber é um raro autor capaz de combinar uma aura idiossincrática a um estilo clássico. Celebrado pela crítica porPétala escarlate, flor branca, sobre a vida de uma prostituta na época vitoriana, e cultuado pelo chocante Sob a pele, que chegou ao cinema com Scarlett Johansson no papel de uma alienígena caçadora de homens, Faber retorna grandioso emO livro das coisas estranhas – que ele declarou ser seu último romance. Amalgamando referências que vão do Novo Testamento aos quadrinhos da Marvel, a obra se apropria do formato de um tipo de ficção científica em extinção (aquele em que as ideias surgem mais imponentes que naves e batalhas) para traçar uma obra delicada e de alto teor literário sobre amor e perda.
A existência de Peter Leigh gira em torno de duas devoções: Jesus Cristo e a esposa Beatrice. E é por elas que decide partir em uma arriscada missão para difundir a palavra de Deus. Em um futuro aparentemente próximo, ele se despede de Bea e do ronronante gato Joshua para, aos cuidados da gigantesca e obscura corporação USIC, decolar rumo ao planeta Oásis. Vivendo em um ambiente árido, os habitantes locais (que, com exceção da incapacidade física de pronunciar os sons do “S” e do “T”, aprenderam a falar inglês com facilidade) são humanoides frágeis e discretos que exteriorizam pouquíssimos anseios: analgésicos, antibióticos e os ensinamentos da Bíblia, por eles conhecida como O livro das coisas estranhas.
Enquanto a conexão com Jesus pode ser feita pela força intrínseca do verbo, o contato com Bea só se realiza por meio da tecnologia popularmente conhecida como “tubo” – sistema de intercâmbio de textos entre a Terra e Oásis que não alcança o assentamento oasiano, distante da base, onde Peter fez questão de se instalar. E as mensagens esporádicas que consegue receber da mulher, a trilhões de quilômetros dali, registram crescentes desavenças políticas, catástrofes naturais e um iminente colapso de sua própria fé.
“Minha intenção era escrever o livro mais triste de todos”, afirmou o autor, que concluiu o romance após a esposa perder uma longa batalha contra o câncer. A exemplo de obras-primas do porte de 2001: Uma odisseia no espaço e Solaris, Michel Faber aborda emoções assombrosamente terrenas e cotidianas ao engendrar uma jornada interplanetária – conquistando fãs de primeira linha (David Mitchell, Yann Martel, Phillip Pullman, Rick Riordan) e a imprensa especializada (The New York TimesThe New Yorker, Washington PostThe Guardian, The Times, PopMatters). Como em todas as realizações de um artista cuja marca registrada é a incapacidade de se repetir, a narrativa se revela precisa, hipnótica e fascinante. O livro das coisas estranhas é uma aventura introspectiva e, contra qualquer clichê, extremamente humana.


Sinopse: A velocidade das transformações no mundo dos negócios parece crescer de forma exponencial. Gigantes como Kodak e Lehman Brothers foram atropelados pela inovação, ou pela falta dela. Novas corporações como Netflix e Uber alteram o consumo de mercados tradicionais a partir de suas plataformas online. No meio de um redemoinho de incertezas, Jeremy Gutsche encontrou sua bússola caçando tendências e as utilizando como um caminho para as oportunidades de bons negócios. Criador do site TrendHunter, a maior comunidade do mundo sobre inovação, Gutshe agora compartilha sua experiência no livro Melhor e mais rápido – O caminho inovador para ideias imbatíveis, registro que é fruto do seu trabalho com mais de 300 marcas e das discussões no site que contabiliza 60 milhões de visitas por mês.
Abordando tanto casos de sucesso, como os da Zara e da autora de Harry Potter, J.K. Rowlling, quanto os de estagnação, como os das empresas Blockbuster e Blackberry, Gutsche indica ao leitor a análise dos padrões que estão na estrutura das ideias que conquistam mercados e renovam marcas. Histórias deliciosas como a Microsoft engolindo as enciclopédias da Britannica com seus CD-ROMs para depois ser devorada pela Wikipedia são parábolas de orientação sobre a inovação como forma de sobrevivência de carreiras e produtos. Os casos são apresentados com rigor nos detalhes que diferenciam trajetórias bem-sucedidas, tornando o livro um guia instigante, não só para quem busca inovação, mas também para os que procuram aperfeiçoamento constante em suas carreiras ou empreendimentos. 
O próprio percurso profissional de Jeremy é emblemático em relação aos casos apresentados no livro quando o assunto é perseguir uma boa ideia. Depois de ter experimentado o sucesso como empreendedor na faculdade e o fracasso como investidor de seu próprio dinheiro, o autor abandonou uma ascendente carreira em um grande banco para tocar seu projeto de website. A aposta deu certo. Dois bilhões de visualizações e centenas de clientes depois, ele conta no livro como criou uma enorme e valiosa rede de influenciadores digitais e desenvolveu um método comprovado para identificar ideias melhores com mais rapidez.
Os seis padrões de oportunidade burilados por Jeremy Gutsche e a comunidade do TrendHunter mostram como avaliar as chances de uma iniciativa florescer, apontam segredos para buscar oportunidades na esteira de outros projetos de sucesso (um caso simbólico nesse sentido são grandes ideias como Twitter, Instagram e Snapchat, que nasceram a partir do êxito do Facebook) e indicam de forma didática como aperfeiçoar o faro para bons negócios, tomando sempre como referência a inovação constante. Conhecer um pouco mais sobre o trabalho e a visão de Gutsche é uma boa chance de entender melhor o atual momento dos negócios em rede e de refletir sobre o padrão que existe nas oportunidades que surgem diariamente.  


Já pelo selo "Anfite Antro", a editora irá lançar um livro, sendo este uma biografia:


Sinopse: A grande dama da moda inglesa, Vivienne Westwood, está longe de se assemelhar a uma pacata senhora britânica, com seus cabelos coloridos e criações de alta-costura que, desde os anos 1970, parecem reproduzir à risca o que se usa nas ruas. Em sua autobiografia, Vivienne Westwood, que assina junto com o jornalista Ian Kelly, ela narra suas memórias pessoais, os eventos, personagens e ideias que moldaram uma vida extraordinária. 
A biografia traça a trajetória de Vivienne desde sua infância ao lado de um casal de irmãos na região de Devonshire. Nascida em 1941, ela se mudou para Londres com a família 17 anos depois. O primeiro e rápido casamento com um empresário de bandas de rock como o The Who rendeu-lhe o filho mais velho, Ben, e o sobrenome que usa até hoje. O segundo filho, Joe, nasceu da longa relação com Malcom McLaren, produtor da banda Sex Pistols e uma das figuras mais influentes da cultura punk. Ao lado de McLaren, Vivienne teve sua primeira loja, cujas roupas encantavam músicos e artistas que vestiam suas extravagantes criações.
O pioneirismo de Vivienne Westwood em captar a irreverência de um momento de grandes mudanças na estrutura social da Inglaterra é apresentado como a matéria-prima de sua inspiração. Vivienne começou a criar roupas em 1971 com o parceiro na época, Malcolm McLaren, quando Londres estava na vanguarda das tendências culturais. Em 1984, lançou sua própria linha de moda e em 2004 o museu V&A recebeu uma exposição de retrospectiva de Vivienne Westwood para celebrar seus 34 anos na moda – a maior exibição jamais dedicada a um estilista britânico vivo. Em 2006, sua contribuição à moda britânica foi oficialmente reconhecida quando foi designada Dama do Império Britânico por Sua Majestade a rainha Elizabeth II. 
Com Vivienne, a alta-costura deixou de ser destinada a pequenos grupos de mulheres ricas e tomou uma dimensão industrial. As coleções lançadas nas semanas de moda são apresentadas como espetáculos de artes cênicas – e Vivienne Westwood sabe aproveitar como poucos estilistas os conceitos dramatúrgicos dos desfiles de moda da atualidade. Para ela, moda é uma expressão política, diz Ian Kelly, lembrando que Vivienne começou a costurar bem jovem, tendo conhecido a escassez de material para a produção de roupas durante a Segunda Guerra Mundial, quando calcinhas de meninas eram ajustadas ao corpo por botões, devido à falta de elástico para os acabamentos.
As observações irônicas de Kelly são reservadas à introdução, quando ele descreve os preparativos para a Semana de Moda de Paris. “É quase decepcionante. Presenciei mais cenas dramáticas e pitis em uma papelaria do que no ateliê de Vivienne Westwood”, comenta Kelly. Ao lado de Vivienne está seu marido, o também estilista Andreas, 25 anos mais jovem do que a mulher, com quem se casou há mais de duas décadas. Segundo Ian Kelly, a serenidade do casal é um dos motivos para que eles sejam venerados por modelos e produtores de moda, que lutam para integrar as equipes de seus desfiles. 
Westwood sempre usou suas coleções e seus desfiles como uma plataforma para fazer campanha para o ativismo positivo. Ela passou muitos anos discursando incansavelmente a respeito dos efeitos da mudança climática e do consumo excessivo. Vivienne também é curadora na organização pelos direitos humanos Liberty e benfeitora da Reprieve, além de fazer campanhas para a Anistia Internacional. Ao final da autobiografia, fica a imagem de uma personagem extravagante e iconoclasta, uma figura forte e consciente do papel da moda como disseminador de ideias políticas da atualidade.


Agora pelo selo "Bicicleta Amarela", que é um selo de bem estar que a Rocco vem investindo, teremos dois lançamentos. Sendo eles:


Sinopse: Depois de apresentar os princípios básicos da Ayurveda no bestseller O sabor da harmonia, Laura Pires volta a dividir com os leitores sua experiência com esse sistema de saúde e bem-estar milenar e os convida a descobrir novos hábitos e a levar mais cor, sabor, saúde e vida às refeições. Com cerca de 200 receitas, Nutrindo seus sentidos é um verdadeiro guia para alcançar um novo patamar de saúde e consciência, bem-estar e vitalidade, tomando por base essa ciência da vida. 
Sabedoria milenar da vida longa e saudável, a medicina Ayurveda reconhece a importância de cada alimento, preparação, respiração, movimento, escolha e momento da vida. O termo vem do sânscrito: ayu, significa “vida”; veda, “conhecimento” ou “ciência”. Sistema de medicina tradicional e milenar da Índia, a Ayurveda é mais do que ciência, é também uma filosofia de vida, capaz de auxiliar o indivíduo a manter a saúde e tratar as doenças cuidando do corpo, espírito e mente.
De acordo com este sistema, cada pessoa é influenciada por três doshasVataPitta e Kapha. A maior intensidade de um ou outro acaba interferindo na maneira de agir, nos desequilíbrios que se manifestam, assim como regulam todas as funções do nosso organismo e auxiliam na respiração, circulação, batimentos cardíacos, entre outros. 
Laura Pires propõe então um ciclo diário para pessoas regidas por cada um dos doshas. São rotinas de alimentação e práticas específicas para manter o equilíbrio e ajustar o que está fora de ordem. Adotar um novo ritmo de vida mais saudável, na maior parte das vezes, é um processo gradual que requer força de vontade e perseverança. 
Na Ayurveda, substâncias artificiais são substituídas por ervas, folhas, frutas, legumes, raízes, cereais, que ocupam lugar de destaque na culinária e vida diária. Para a autora, todos nós somos constituídos de corpo-mente-espírito. Neste livro, Laura Pires consegue apresentar essa ciência milenar de forma acessível para todos, mostrando que é possível seguir uma vida mais saudável.


Sinopse: O mundo moderno exige de todos um nível de imediatismo, superficialidade e atenção difusa que tem levado à ansiedade, à agressividade, à depressão e aos mais variados graus de dificuldade de concentração. Crianças e adolescentes não estão livres dessas cobranças: na escola e no dia a dia, uma agenda lotada de atividades e compromissos. O uso da tecnologia pede um mergulho no virtual e no viral. Contemplar é verbo que poucos põem em prática. Reflexão e relaxamento são palavras poucos vividas. E os prejuízos colhidos desse estilo de vida cobram seu preço. Mas como fazer para lidar com tantas exigências desde o berço sem criar um adulto mergulhado em estresse? 
Quietinho feito um sapo, bestseller na Europa que chega ao Brasil pelo selo de bem-estar Bicicleta Amarela, propõe a trabalhar os valores da meditação numa geração mergulhada em imediatismo e interação permanentes. A terapeuta holandesa Eline Snel apresenta os princípios da meditação mindfulness para crianças de uma maneira fácil e divertida. O livro leva a criança a cultivar a presença: da mente; do coração; e do corpo. A presença acontece quando se está atento ao que é mais relevante e mais importante a cada instante. 
E tudo começa com a respiração. Sabe quando as crianças estão agitadas e não conseguem dormir? Uma profusão de pensamentos impede que relaxem. Que tal estimulá-las a direcionar sua concentração da mente para a barriga? Se elas prestarem menos atenção aos pensamentos que pipocam sem parar na cabeça e lentamente desviarem a atenção da cabeça para a barriga, elas conseguem, com o tempo, se acalmar.  Em sua barriga não há pensamentos, apenas sua respiração, que as fazem mover para cima e para baixo, lentamente, em expansão e retração. Um movimento suave e sedante, que lentamente as fará adormecer. É o princípio do mindfullness – ou esvaziamento da mente. Pensamentos nunca param. Tudo o que se pode fazer é deixar de reagir a eles, de prestar atenção a eles. 
Eline Snel tem um talento especial para usar o tom certo quando se trata de falar com crianças sobre esses assuntos. Sua abordagem tem um adorável tom de brincadeira, tanto para as crianças menores, quanto para os pré-adolescentes. Ao mesmo tempo em que ela trabalha com algumas das mais sérias preocupações infantis, ajudando a encontrar maneiras criativas de aceitar e trabalhar os pensamentos e emoções da garotada, ela ensina a enfrentar os desafios que são uma parte tão significativa de suas infâncias. Devido a sua leveza e olhar profundamente sincero, Quietinho feito um sapo torna o cultivo da meditação algo parecido com um jogo, uma experiência, não uma tarefa.
Os pais também se beneficiam com a experiência. Afinal, para ensinar meditação às crianças é indicado que eles aprendam. Por exemplo, quando os filhos estão agitados e os pais perdem o controle das emoções entrando em estado de ira? Que tal dar um tempo? Isso mesmo: a pausa convida à reflexão e à tranquilidade, ajudando a aplacar a tempestade interior. Esse é o princípio de aprender a lidar com situações difíceis: como se elas fossem ondas. As ondas não vão deixar de vir porque se quer. Então a alternativa é aprender a surfá-las. Pessoas têm problemas. Todos experimentam tristeza e pressão, e sempre existem coisas com as quais se tem simplesmente que lidar. Quando existe concentração, vê-se as “ondas” como elas realmente são, e é possível fazer escolhas melhores e agir em conformidade. É possível tomar consciência da irritação assim que ela desponta em sua mente. Por meio de exercícios, Snel trabalha a paciência, a confiança e o “saber deixar para lá”. 
Quietinho feito um sapo leva pais e crianças a descobrirem a si mesmos, à aceitação mente e corpo e à sensação de bem-estar e pertencimento. Um livro indispensável para pais, professores e profissionais da área de saúde e infantil. 


Agora vamos falar sobre os lançamentos do meu selo preferido da Rocco, que é o "Fábrica231". Serão dois lançamentos e eu estou ansiosa pelos dois (<3), sendo eles:


Sinopse: Oliver Dalrymple é o típico “looser” americano: o adolescente de 13 anos é um nerd, magro, pálido, muito parecido com um fantasma: não à toa seu apelido no colégio é Boo. Ele bem que gostaria de fazer jus ao nome que lhe impuseram, mas não consegue assustar ninguém. Na verdade, quem vive assustado é ele com a vida na qual não consegue se ajustar. O que mantém seu interesse no mundo é descobrir os elementos que o constituem e para isso memorizou obsessivamente os elementos da tabela periódica. Um dia, no entanto, enquanto se recupera de mais um bullying recitando o símbolo do bário e do bromo, desfalece para sempre em frente ao seu armário da escola. E é aí que sua verdadeira vida começa.
Boo, lançamento do selo Fábrica231, da Rocco, é o mais recente livro do canadense Neil Smith. No romance, Smith mostra por meio de sua personagem uma visão adolescente do pós-morte. O “céu” onde Oliver acorda depois que acredita ter tido uma parada cardíaca em função de um problema congênito – um “buraco” no coração – é completamente inusitado. Para começar, Boo é ateu e extremamente racional. Ao acordar nu em uma cama de enfermaria, e ver que não precisa mais de seus óculos para enxergar, deduz que está em alguma espécie de pós-morte, mas que está muito longe de ser o que se pensa. 
A Cidade, como é chamado o local onde vai parar, é povoada por pessoas que morreram aos 13 anos. Na verdade, existe um céu para cada idade e todos eles ficam lá sem envelhecer até completarem o tempo em que deveriam viver na Terra. Depois, viria a morte definitiva. Para Oliver, a morte deveria ser seu alívio: ele tem claros problemas de sociabilidade e não suporta ser tocado. Nesse pós-morte, no qual adolescentes de 13 anos vivem aprontando, se alimentam de comida pronta deixada numa despensa que se reabastece sozinha e cujos habitantes dão graças a Zig (Deus), Oliver “Boo” tem que aprender a fazer amigos, como Thelma, uma alma caridosa que cuida da adaptação dos renascidos nesse novo mundo, e Johnny Henzel, seu colega de escola que chega dias depois à Cidade, trazendo uma notícia perturbadora: Oliver não morreu do coração, mas foi vítima de um ataque, assim como Henzel. E tudo indica que o responsável pelo crime também está entre eles.
De um mero fantasma a uma pessoa de verdade, Smith constrói uma personagem interessante que se humaniza justamente depois da vida. Elogiado pela crítica e adorado pelos leitores, Boo é um romance cativante sobre amizade, confiança, bullying, segundas chances e a difícil tarefa de ser adolescente. 


Sinopse: No insólito mundo de Dartana, os habitantes são incapazes de guardar conhecimento. Qualquer aprendizado é sumariamente esquecido quando dormem. A única esperança para acabar com este sofrimento é o nascimento de um deus guerreiro, capaz de vencer outros deuses e liberar o conhecimento para seus seguidores. Primeiro livro da nova trilogia de André Vianco, Dartana surpreende por apostar numa fantasia com ares de ficção científica, que bebe na fonte de clássicos do gênero como Star Wars. E André Vianco faz isso com enorme talento, mostrando por que é um dos grandes representantes do gênero fantasia no país. 
O nascimento do deus Belenus é o sinal que todos aguardavam, a esperança de que o sofrimento pode estar chegando ao fim. E os jovens Jeliath e Dabbynne marcham junto das feiticeiras e dos soldados para o Combatheon, uma outra dimensão e uma arena onde um combate épico define a sorte de vários mundos. 
A chegada em Combatheon não é como o imaginado, e agora Jeliath e seus amigos têm que lutar para sobreviver antes de pensar em salvar o seu mundo. Estranhas descobertas e inesperados reencontros fazem parte da nova realidade do grupo. Enquanto buscam novas armas através de uma estranha conexão com a Terra e a família de Gláucia e Doralice, os jovens ficam sabendo um pouco mais sobre o Combatheon, os misteriosos e poderosos deuses guerreiros e outros planetas e povos.
Em Dartana, André Vianco leva aos seus leitores uma história épica, sobre uma jornada onde a esperança não termina. Um livro recheado de ação intensa e grandes surpresas que mostra um universo incrível onde o inesperado é corriqueiro.Dartana é mais um sucesso com a marca de Vianco, agora pelo selo de entretenimento Fábrica231
Ah meu Deus, talvez eu já esteja loooouca para ler este livro <3


Pelo selo "Fantástica", a Rocco preparou a sequência de um livro que creio eu, muitas pessoas estão ansiosas. Sendo ele:


Sinopse: Uma das autoras mais queridas do público jovem na Inglaterra e nos EUA, e celebridade no Twitter, Maureen Johnson deixa sua protagonista Rory Devereaux No limite da loucura na eletrizante sequência de O nome da estrela. Reclusa em Bristol, sob o olhar atento dos pais, desde que se envolveu no misterioso caso do assassino em série que se fazia passar pelo lendário Jack, o Estripador, e quase foi morta, Rory é surpreendida pela notícia de que poderá voltar a Londres e à rotina de estudos em Wexford. 
Apesar de não se sentir totalmente recuperada, ela está feliz por reencontrar a colega de quarto Jazza, as outras meninas do dormitório feminino Hawthorne, o quase namorado Jerome e até mesmo a monitora com quem nunca se deu muito bem Charlotte. Quem sabe até consiga retomar o contato com Stephen, Callum e Bu, os membros do esquadrão secreto que monitora fantasmas em Londres. Estar de volta, porém, significa enfrentar seus medos, lutar contra as emoções ao passar pelos locais em que encontrou e enfrentou o serial killer.
A fracassada rotina de estudos para os exames finais é rapidamente interrompida tão logo Rory chega a Londres. A poucos passos da escola, o dono de um pub foi morto. Apesar da confissão do principal suspeito, a história parece não fazer muito sentido. Ainda com as emoções à flor da pele, a garota não acredita no que tem visto no noticiário e decide, junto com o esquadrão, tirar a história a limpo. E o que deveria ser um retorno tranquilo à rotina de qualquer adolescente acaba se transformando em uma nova aventura, uma loucura que envolve criaturas não menos assustadoras do que Jack, o Estripador. 
Uma nova ameaça assombra Londres e Rory Devereaux precisa enfrentar seus próprios fantasmas e agir antes que seja tarde. 


Falando agora sobre um dos selos mais populares da editora, o "Jovens Leitores". São três lançamentos, sendo eles:


Sinopse: Wonder Woman é uma guerreira e princesa amazona. Criada na Ilha Paraíso, ela sempre sonhou em ser uma super-heroína – a melhor de todas as super-heroínas. As aventuras de Wonder Woman na Super Hero High é o primeiro livro da série DC Super Hero Girls. Escrita pela premiada autora Lisa Yee, a série apresenta os clássicos heróis da DC Comics para uma nova geração de leitores. Com foco nas jovens heroínas, Lisa leva esses personagens para uma escola especial onde os jovens heróis vão aprender a usar seus poderes para se tornarem os maiores heróis do mundo. 
Mas frequentar a escola mais cobiçada das galáxias não é algo simples... Wonder Woman que o diga. A jovem precisa mostrar seu valor nas aulas, conhecer seus novos colegas, enquanto disputa uma vaga para a equipe que vai participar do badalado Super Triatlo, e ainda tem que lidar com Harley Quinn, a sua hiperativa e um pouco fora de controle colega de quarto. Sem mencionar que Wonder Woman nunca havia visto um garoto antes... Muitas novidades e aventuras para uma menina recém-saída de uma ilha mágica e isolada.
As aventuras de Wonder Woman na Super Hero High é um livro tanto para quem já conhece as super-heroínas quanto para novos fãs. Lisa Yee consegue manter as características que fizeram de cada personagem ícones culturais, agora com uma roupagem nova e moderna. Repleto de referências para os velhos fãs, a obra chega para conquistar os mais novos. Um livro que os pais vão ler para os filhos com muito prazer. 
Então, vista sua capa e corra para a Super Hero High! Wonder Woman, Katana, Green Lantern, Hawkgirl, Arlequina, Flash e muitos outros são as novas caras dos heróis e aguardam os leitores para a próxima aula... ou supermissão!


Sinopse: Autora de sucessos juvenis como Fala sério, amor! e Tudo por um feriado, Thalita Rebouças surpreende seus fãs com um conto de fadas divertido e original em Uma fada veio me visitar, que inspirou o filme É fada,estrelado por Kéfera Buchmann. Mas seus fiéis leitores não precisam se preocupar. O estilo descontraído e o talento inconfundível para tratar de assuntos que interessam ao universo adolescente continuam presentes no novo livro. E agora com um toque de magia. Ou melhor, algumas pitadas de pó de fada.
Semana de provas e duas notas vermelhas no bimestre. Luna estava preocupada com o seu futuro, ou com o futuro dos seus fins de semana, naquela véspera de prova de matemática. A mãe já havia avisado: mais uma nota ruim e nada de festas, cinema, praia, shopping, televisão ou computador por tempo indeterminado. Os dias não estavam sendo nada fáceis para esta menina de 13-quase-14 anos, cabelos ondulados, inteligente, sensível e descolada. Mas ela não podia imaginar o que a esperava naquela noite.
Depois de dar uma ajeitada no quarto e devorar números e fórmulas até o limite da exaustão, Luna caiu no sono, livro de matemática no colo. Foi então que seu sonho foi interrompido pela inusitada visita de uma fadinha espevitada que usava um vestido amarelo-ovo de bolinhas pretas, todo rodado, e um cabelo armado que a fazia parecer saída do filmeGrease, nos tempos da brilhantina. Luna não acreditava em fadas, mas achava que, se elas existissem, deveriam usar vestidos brancos, longos e esvoaçantes. Com muito esforço, algumas doses de magia e diálogos impagáveis, a simpática Tatu conquista a confiança de Luna. E um mundo de descobertas incríveis tem início.
A missão de Tatu, na verdade, era dar uma mãozinha a uma certa Lara Amaral, que estava prestes a passar por um grande problema, mas para isso a fada precisaria da ajuda de Luna. O problema é que a tal Lara era simplesmente a menina mais metida do colégio, e ainda por cima havia ficado com o fofo do Pedro Maia! É claro que a nota da prova de matemática estava garantida, mas foi um grande desafio para Luna deixar de lado sua implicância com a colega de turma e ajudar Tatu a cumprir a sua tarefa e quem sabe conseguir uma promoção (o mundo das fadas tem lá a sua hierarquia, e Tatu era apenas uma fada Júnior). No fim das contas, uma grande amizade estava por nascer para provar que as coisas nem sempre são como parecem e os problemas podem ser a chave para novas e enriquecedoras experiências. Luna e Lara precisaram de um empurrãozinho especial. O leitor precisa apenas se deixar levar pelo encanto deste divertido conto de fadas contemporâneo.

Sinopse: Adelina Amouteru tinha muitos sonhos, entre eles amar e ser amada, mas a febre do sangue estragou seus sonhos e sua vida. Dona de um estranho poder, a capacidade de criar ilusões extremamente realistas, a menina é uma Jovem de Elite. E tudo caminhava bem até se envolver com o príncipe Enzo e sua Sociedade do Punhal.
Sociedade da Rosa é a eletrizante continuação de Jovens de Elite, o primeiro livro da série de mesmo nome, de Marie Lu. No novo livro, a consagrada autora da trilogia Legend continua as aventuras de Adelina Amouteru agora junto de sua irmã Violleta. Abandonada à própria sorte pelos seus amigos da Sociedade do Punhal, só resta a Adelina formar seu próprio grupo de jovens de elite e buscar sua vingança.
Assumindo o nome de Loba Branca, Adelina deixa Kenettra, à procura de seus aliados. Ainda sentindo a morte de seu amado Enzo, pensa apenas em formar seu exército e tomar o poder. Mal sabe ela que o destino a colocará mais uma vez frente a frente com Teren Santoro, o Inquisidor Chefe que quase a matou, e Raffaele e os remanescentes da Sociedade do Punhal, que se aliaram à rainha Maeve de Beldain, cidade inimiga de Kenettra, que planeja trazer Enzo de volta dos mortos.
Com um poder alimentado pelo medo e ódio, Adelina começa a perder o controle e não consegue mais distinguir a realidade de suas ilusões, e embarca numa jornada que marcará para sempre sua alma.
Marie Lu apresenta aos seus leitores mais um livro de tirar o fôlego. Sociedade da Rosa continua a ação, as intrigas políticas e o suspense já presentes em Jovens de Elite, com um ritmo crescente rumo a um final surpreendente para Adelina, os Jovens de Elite e para todos os fãs desta série única.
Enfim, esses são os lançamentos de Outubro da editora Rocco, quais vocês estão mais ansiosos para fazer a leitura? Lembrando que o oitavo livro da saga de Harry Potter será lançado no dia 31 de Outubro. Beijos da Cah 

2 comentários:

  1. Nossa, quantos lançamentos! A Rocco está mesmo super ativa né? E tem para todos os gostos. Adorei saber mais sobre esses novos livros que chegaram em outubro, confesso que dos autores citados, só conheço a Thalita Rebouças (e só de ouvir falar porque ainda não li nenhum livro dela rsrs). Mas gosto muito de fantasia e o livro desse gênero que vc citou parece bem interessante (embora eu tb ainda não tenha lido o primeiro da saga).
    Parabéns pelo post!
    É muito bom ficar por dentro das novidades literárias!
    Beijos
    Tamara
    Blog Tamaravilhosamente

    ResponderExcluir
  2. Como assim o filme É Fada foi inspirado em um livro da Thalita e ninguém me disse nada? Gente, a Thalita não paraaaa hahaha.
    A capa de O Livro das Coisas Estranhas chamou MUITO a minha atenção, dei até uma olhadinha no Skoob e vi a recomendação de que é para fãs de 1984 e de Chuck Palahniuk, o que me deixou bem curiosa, já que gosto muito da obra e autor citados. Entre todos da lista, esse é um que provavelmente leria :)


    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir